Conheça os maiores desafios, tendências e oportunidades das empresas que possuem programas de voluntariado

No último encontro do Grupo de Estudos os representantes das empresas foram divididos em grupos identificados pelo estágio do programa de voluntariado empresarial para discutir os desafios, tendências e oportunidades em comum.

Confiram e inspirem-se:

Grupo 1 – Iniciando o programa

Desafios

  • É muito difícil a fase de implantação do programa, de iniciar as ações
  • Apoio e envolvimento da alta direção é fundamental para facilitar a implantação
  • Expectativa dos dirigentes
  • Difícil conquistar orçamento específico para o programa na fase inicial
  • A comunicação adequada para públicos diferentes
  • Dificuldade de alinhar o programa ao negócio (nem sempre dá!)
  • Trabalhar em alinhamento com a política de RH
  • Ouvir a necessidade dos funcionários e contemplar os interesses
  • Definir se o programa acontecerá fora ou dentro do horário de trabalho, pois ainda há preconceito
  • No caso de empresas internacionais, o desafio é atender os interesses e necessidades das diferentes regiões com certa padronização do programa (Global para o local)
  • Ter um programa engessado que não atenda os interesses dos funcionários
  • Há preconceito com ações pontuais, mas pode ser muito interessante para mobilizar voluntários para uma estruturação do programa
  • Como trabalhar a religião? Muito delicado!
  • Olhar primeiro para dentro, para as necessidades emergenciais dos próprios funcionários (Ex.: alfabetização)
  • Realizar pesquisa para entender as expectativas dos funcionários (perguntar apenas o que será viável)

 Tendências e oportunidades

  • Desenvolvimento de competências é uma forma de atrelar o programa ao negócio
  • Aproveitar as parcerias (econômicas ou não) para alavancar o programa e motivar as pessoas
  • Espaços coletivos de discussão
  • Desenvolver projetos em conjunto com outras empresas
  • Expectativa dos dirigentes
  • Uma prática inspiradora é desenvolver a solidariedade com competição (Ex.: gincana solidária)
  • A melhora do clima organizacional é uma consequência da participação em ações do programa de voluntariado

Grupo 2 – Programa existente e que precisa de melhorias

Desafios

  • Mobilizar mais voluntários
  • Falta de identidade do programa, o objetivo do programa nem sempre está muito claro, começa improvisado e vira uma colcha de retalhos com o tempo.
  • O desafio da comunicação nas ações de voluntariado, não pode ser uma comunicação fria, como passar a emoção do projeto na comunicação? Desafio de comunicar empresas com sedes espalhadas pelo país.
  • Trazer a liderança para perto do programa de voluntariado
  • Desafio de adequar diretrizes globais `as realidades locais “Pensar global e agir local”
  • Mobilizar recursos para o programa de voluntariado
  • Mobilizar/ conquistar a alta gerência
  • Lidar com a inconstância do recurso que está sujeito `as oscilações do mercado.
  • Dar escala ao programa minimizando custos ou adaptar a ação para escalar com menos custos
  • Garantir voluntários para as ações e contar com a liberação da chefia durante o horário de trabalho

Dica: antes da ação apresentaram os objetivos do programa para as lideranças, aproveitar lideranças engajadas para promover o programa, deixar claro por que precisamos de mais voluntários, mostrar metas do programa)

  • Atender os turnos noturnos nas indústrias
  • Lidar com colaboradores que moram em cidades diferentes

Tendências e oportunidades

  • Voluntariado online/digital para pessoas com restrição de tempo
  • As empresas podem compartilhar suas tecnologias, conteúdos online como referência para outras empresas.
  • Buscar parcerias, as empresas atuam muito sozinhas, poderiam trabalhar mais conectadas
  • Ampliar os espaços de comunicação

Grupo 3 – Programa atuante e com muitos participantes

Desafios:

  • Engajamento dos voluntários e dos gestores sempre é um desafio – que o voluntariado esteja no dia a dia
  • Envolvimento da alta liderança
  • Discutimos a dificuldade com os gestores também quando existe uma certa “coerção”
  • Identificar o foco para a atuação
  • Programas estruturados: sair da questão de aumentar sempre o número de voluntários. Uma das participantes citou que no seu caso, diminuiu a meta em realação ao ano anterior porque não quer que as pessoas sejam obrigadas
  • Fidelização dos voluntários é outro desafio
  • Foi criado um discurso institucional, que muitas vezes é artificial – necessário resgate de valores para dar sentido a esse discurso
  • Alerta para o perigo de “vender” um discurso, modismo, sem esse sentido e conexão com a prática
  • Desafio da relevância

Tendências e oportunidades:

  • Engajamento e formação de trainees e estagiários – futuras lideranças
  • Citado exemplo de campanha: “ O voluntariado cabe na sua vida” da Fundação Itaú Social
  • Comunicação focada na causa
  • Conectividade e trabalho com as redes sociais
  • Lembrar que a área social é/deve ser uma área de inovação
  • Aumento da mobilização muitas vezes significa perda do controle – devemos nos tranquilizar com isso
  • Tempo – atividades menos espaçadas no tempo, “encurtar” os tempos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s