Voluntariado Empresarial: conceito

http://blog.v2v.net/voluntariado-empresarial-conceito/?utm_campaign=blog_-_2017-11-30_-_voluntariado_empresarial_conceito&utm_medium=email&utm_source=RD+Station
Neste artigo Natália Kelbert  da V2V fala um pouco sobre o conceito de Voluntariado Empresarial e como ele se aplica no dia a dia de um programa corporativo de Voluntariado. Isso porque, quando uma empresa decide estimular o engajamento social, articulando projetos ou apoiando iniciativas dos colaboradores, é comum o surgimento de uma dúvida básica: “Afinal, onde terminam as iniciativas sociais de um colaborador e onde começa o voluntariado empresarial?”  Esta reflexão costuma surgir principalmente quando a companhia opta por apoiar projetos sociais desenvolvidos por colaboradores, ou quando funcionários se reúnem por conta própria para organizar ações na comunidade. Para contextualizar melhor:

Quando uma empresa decide desenvolver um Programa de Voluntariado, ela pode organizar e promover ações sociais e convidar seus colaboradores para atuar como voluntários, mas pode também apoiar iniciativas já praticadas por eles. Além disso, também é comum que os funcionários se reunam e organizem projetos entre si, recebendo ou não apoio da companhia. Estes são casos que ficam em uma zona nebulosa em que a maior parte das pessoas têm dúvida se se enquadram ou não no conceito de Voluntariado Empresarial. Para ajudá-los a lidar com essas questões, vamos partir dos conceitos básicos:

O conceito de Voluntariado Empresarial:

O manual  “Como as empresas podem implementar programas de Voluntariado Empresarial”, publicado pelo Instituto Ethos, traz a seguinte definição:

“Voluntariado empresarial é um conjunto de ações realizadas por empresas para incentivar e apoiar o envolvimento dos seus funcionários em atividades voluntárias na comunidade.”

Já o CBVE – Conselho Brasileiro de Voluntariado Empresarial, criou em 2013 uma definição um pouco mais detalhada:

“É uma iniciativa de responsabilidade social de empresas, visando incentivar, organizar, apoiar e reconhecer ações voluntárias de participação cidadã de seus profissionais e demais públicos de relacionamento, em prol da sociedade.”

Esta segunda definição pode parecer limitadora quando diz que é uma iniciativa de RSE, já que em muitas organizações o Programa de Voluntariado é conduzido pela área de Recursos Humanos, Comunicação Interna ou Sustentabilidade. No entanto, qualquer que seja a área responsável, existe um impacto da ação na comunidade; portanto, é importante que haja sempre um alinhamento das ações voluntárias com os objetivos da área de RSE.

Voluntariado Empresarial: o conceito, na prática

Partindo das definições acima, podemos chegar a algumas conclusões mais práticas sobre o que afinal é e o que não é Voluntariado Empresarial:

O que É Voluntariado Empresarial:

  • Ações promovidas pela empresa, independente de ocorrerem dentro ou fora do horário de trabalho. Nesse caso, a companhia organiza todas as atividades, desde o planejamento até a logística da execução. Estas ações podem ou não contar com a participação de parentes e amigos convidados pelos colaboradores;
  • Ações na comunidade exercidas dentro do horário de trabalho, independente de serem promovidas pela empresa ou pelos colaboradores (na prática, a empresa está cedendo o tempo de trabalho dos colaboradores);
  • Ações promovidas pelos colaboradores, que podem ocorrer dentro ou fora do horário de trabalho, mas que necessariamente tenham recebido algum tipo de apoio da empresa. Este apoio pode vir na forma de recursos financeiros, apoio logístico, acompanhamento e orientações, entre outras.

O que NÃO é Voluntariado Empresarial:

  • Ações voluntárias promovidas e organizadas pelos colaboradores, fora do horário de trabalho e que não tenham recebido nenhum tipo de apoio da empresa.

Muitos de nossos clientes reservam em seus portais de voluntariado um espaço para que os colaboradores divulguem suas iniciativas independentes em busca do apoio de colegas. As ações divulgadas ali costumam ser tratadas de maneira separada, até mesmo em termos de relatório e indicadores de resultados, por não se tratarem de ações promovidas pela empresa.

O que, obviamente, não significa que não devam ser estimuladas. Pelo contrário: neste casecontamos que um dos fatores de sucesso do Programa de Voluntariado da MRV Engenharia foi justamente dar voz aos colaboradores permitindo que divulgassem suas iniciativas. Com isso, além de ter uma adesão maior dos colaboradores, a MRV pôde oferecer um leque de oportunidades de voluntariado sem necessidade de dedicar tempo ou recursos financeiros para a concretização das atividades: bastou disponibilizar um espaço virtual de troca de ideias e, com a interação entre os colaboradores, as atividades tomaram corpo. Além desse benefício prático, também falamos aqui sobre outras vantagens de se dar voz aos colaboradores.

Como acolher iniciativas dos colaboradores em um Programa de Voluntariado Empresarial

Entre nossos clientes, sempre sugerimos que criem em seus Portais de Voluntariado um espaço para que os colaboradores publiquem suas iniciativas pessoais de modo a buscar apoio de voluntários e inspirar os colegas a promoverem iniciativas semelhantes. Quando este espaço é cedido, de maneira geral, todo mundo sai ganhando:

  • o líder da ação recebe ajuda de mais voluntários;
  • os colaboradores recebem mais oportunidades de atuação na comunidade;
  • a empresa estimula uma cultura de colaboração sem precisar dedicar tempo ou recursos financeiros para o projeto, uma vez que os próprios funcionários propõem e articulam as iniciativas.

De modo geral, os colaboradores se sentem agradecidos e animados com o espaço. No entanto, também podem acontecer objeções como “são minhas iniciativas, a empresa vai acabar se apropriando delas” ou “não quero divulgar o que faço, pois quando fazemos bem aos outros não devemos nos vangloriar disso”. Nesses casos, a empresa pode contrapor de algumas maneiras:

  • oferecer algum apoio real àquela ação; seja financeiramente, doando materiais, oferecendo espaço físico, etc;
  • se a empresa não for oferecer nenhum tipo de apoio exceto a disponibilização do espaço para divulgação das ações, vale deixar claro que os resultados daquelas atividades não serão contabilizados como indicadores do Programa de Voluntariado. Isso fará com que o colaboradores não sintam que a organização está tentando se apropriar de suas iniciativas;
  • em qualquer caso, deixar claro que o objetivo deste incentivo é gerar um ambiente inspirador para ações que tragam impacto positivo na comunidade.