Conhecendo o ODS 5: Glossário de termos

glossario

 

Os glossários têm como objetivo apresentar, de forma qualificada
e propositiva, definições internacionalmente acordadas, bem
como aquelas observadas como mais pertinentes à realidade
brasileira, dos termos e conceitos contidos na redação das
169 metas dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Este glossário aborda  o ODS 5  de Igualdade de Gênero, com vistas a
levá-lo para debate de forma neutra e a fim de que pessoas
e instituições dos mais diversos espectros políticos possam
propor ações construtivas a partir deles.

 

GlossrioODS5-atualizado (2)

O coração Voluntário e a parceria com as OSC- Organizações da Sociedade Civil

Conectar-se com uma causa com a qual exista uma identificação nem sempre é tão simples assim! A internet está desempenhando um papel importante nesse encontro, evidenciando e fazendo a ponte entre potenciais voluntários e as organizações ou causas que mais precisam de ajuda. Mas, será que essas pessoas vão além do impulso e buscam as atividades voluntárias? E mais: será que permanecem engajadas e envolvidas na causa escolhida? Cada um de nós sabe e reconhece suas habilidades mais relevantes e de destaque. Mas, por alguma razão, quando se trata de escolher quais compartilhar, todos esses talentos são esquecidos.  Antes de considerar todas as opções para escolher uma atividade voluntária, vale refletir sobre onde você está hoje: qual é o seu momento atual? Como se sente em relação a ter mais um compromisso em sua vida? São questionamentos importantes: está assumindo um novo emprego; acabou de sair de um relacionamento; está envolvido em muitas ações no seu dia a dia com estudo, trabalho e família; está inseguro sobre questões econômicas e pessoais? É preciso encontrar um equilíbrio entre ter a vontade de participar e ter, de fato, espaço no dia a dia para o voluntariado. É fundamental ter a consciência de que realizar um trabalho voluntário é assumir responsabilidades e deveres. Ou seja, é incluir um novo compromisso no seu dia a dia.  Um projeto de voluntariado está na sua “lista de desejos”? Uma ótima maneira de lembrar-se é listar o que já realizou e seus sonhos e vontades, analisando suas principais realizações ao longo da vida, tais como obtenção de um grau, trabalho voluntário, viagem para diferentes países, reforma da casa, filhos, superação de doenças ou cuidar de um parente. Tudo deve estar em harmonia e alinhado: valores, saúde, família, interesse por novas experiências, bom equilíbrio entre trabalho e vida pessoal e, ainda, os aspectos espirituais e políticos. Praticar o voluntariado e fazer a diferença, apoiando e adotando práticas sociais, pode ser tão importante para você quanto fazer dinheiro, conseguir uma promoção ou desfrutar um novo desafio. Mas igualmente exige dedicação, tempo e energia. Você pode ver no voluntariado uma oportunidade de desenvolvimento de talentos, tais como relações interpessoais, liderança, comunicação e criatividade. Pode ser fascinante e, com certeza, as recompensas e grau de satisfação vão muito além do que pode ser medido e calculado. Conhecer a si mesmo é importante na busca de um novo desafio, mas é fundamental sentir-se confortável em um espaço e uma atividade em que seja capaz de ser você mesmo. Então, pergunte-se: você é mais do silêncio ou da agitação? Mais do trabalho em grupo ou do seu ‘canto’? Você é uma pessoa mais discreta e calada, ou expansiva e comunicativa? Ao fazer uma escolha pelo voluntariado, você pode querer desenvolver suas habilidades ou pode querer transferir seus talentos, conhecimentos e pontos fortes. É fundamental definir o que você tem para oferecer ou o que gostaria de acrescentar.

O trabalho voluntário tem que dar um sentido à vida, trazer muita alegria. Depois de ter uma imagem clara do que é importante, no momento de colocar a ação no dia a dia, aí sim, cada um pode pensar de maneira prática como e onde encontrar e começar a sua ação social, seu voluntariado.

Mas onde realizar? Como se aproximar desses espaço para atuar? O maior desafio certamente é alinhar as expectativas de quem quer realizar a ação com a de quem convida, abre espaço e deseja receber voluntários.

No dia 12 de junho de 2018 reunimos 16 Organizações da Sociedade Civil  da cidade de SP para refletir em desafios, tendências e as estratégias de gestão dos voluntários neste quase fim de mais uma década do novo milênio.

O conteúdo foi registrado por mim e a gratidão é imensa a todos que generosamente, não só participaram da oficina, mas também contribuíram enviando algumas informações complementares.

A escolha das organizações para participarem dessa atividade, de algumas visitas e dos registros foi baseada na variedade de áreas de ação, atuando na saúde, educação, garantia de direitos, inclusão, cidadania, cultura e principalmente, que todas tivessem um número expressivo de voluntários: mais de 200 em atividades contínuas.

Conhecer essa realidade das organizações da sociedade civil, apesar desse recorte  certamente será um facilitador para as empresas que buscam parcerias e espaços para o Voluntariado Empresarial. Como é importante ouvir, visitar, conhecer, compreender e construir de forma colaborativa e cooperativa essa parceria que vai atender a expectativa de quem vem com esse imenso coração voluntários e o desafio de quem vai receber  esse tempo e acolher esses voluntários de forma profissionalizada e transformadora, sem esquecer do desafio também da empresa, no seu papel facilitador, mobilizador e engajador desses talentos e energia.  Boa leitura! Silvia Naccache

230618Gestão dos Programas de Voluntariado em Organizações com Número Expressivo de Voluntários

“Do sentimento vem a inspiração, passa pelo cérebro, se realiza com as mãos, e depois da obra feita alegra o coração”

_MG_6479.jpg

Julho 2018

Inspirações Believers: Believe Earth

Believe.Earth se expressa de várias maneiras. Lançado no dia 15 de setembro de 2017, no RockInRio, esse movimento é conteúdo, é ação, é virtual e presencial.

O futuro é feminino. A frase vem do passado. Da Nova York de 1975. Mas inspirou a BelieveEarth a conversar sobre o futuro. Como alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas é fundamental para chegarmos lá?
Para celebrar o Dia Internacional da Mulher a BelieveEarth, realizou  5 rodas de conversas envolvendo temas que impactam positivamente o futuro e apontam caminhos sustentáveis para o nosso planeta. As conversas mostraram como os objetivos da agenda 2030, assinada por mais de 160 países membros da ONU – entre eles igualdade de gênero, fim das desigualdades sociais, saúde e bem estar, trabalho digno e crescimento econômico, ações contra mudanças climáticas e tantos outros – nos aproximam de um futuro mais próspero e sustentável para todas as pessoas.Futuro é livreA luta para quebrar velhos padrões, de imagem e de comportamento, ainda vai nos levar além. Desta vez, vamos conversar sobre isso com as mães. Como é esse mundo onde os nossos filhos são livres para ser quem eles são? Como é um futuro onde ser mãe também é ser livre para falar das dificuldades desta jornada e para dividir o que causa sofrimento sem culpa?Futuro é ColetivoUm bate-papo sobre mulheres no esporte. Grupos que se encontram para praticar em espaços públicos, treinadoras mulheres, a cobertura da mídia das modalidades femininas e o direito ao esporte como lazer e não como uma obrigação para manter uma forma padrão.
Futuro é SustentávelA sustentabilidade é, sim, um tema feminino. Queremos ouvir as mulheres que são protagonistas de movimentos em prol do desenvolvimento sustentável.Futuro é PrósperoDizem por aí que trabalhar dignifica o homem. E a mulher? A gente diz que só dignifica quando oferece condições e oportunidades igualitárias e justas. Esse é o futuro em que queremos trabalhar e pelo qual trabalhamos. Futuro é das MinasAs minas da nova geração têm muita energia para melhorar este mundo. Queremos escutar e aprender com a voz da juventude. O que querem, pelo que lutam e o que enxergam à frente as mulheres de amanhã?

 

https://www.youtube.com/watch?v=QN-JWbulbIw&feature=youtu.be&utm_source=Believe.Earth&utm_campaign=664838899f-EMAIL_CAMPAIGN_2018_03_26&utm_medium=email&utm_term=0_cf6bc25480-664838899f-115681841

 

Believe.Women é uma série de entrevistas feitas com mulheres que protagonizam a criação de um futuro igualitário e justo. Este especial apoia e promove o ODS 5, de Igualdade de Gênero, e o ODS 10, de redução das desigualdades.

https://believe.earth/pt-br/specials/believe-woman-pt-br/

 

8 de agosto – Encontro Grupo de Voluntariado Empresarial: Gênero e Voluntariado a Mulher no Foco

8 de agosto das 8h30 às 12h30

Palestrantes:

Mafoane Odara  (Instituto Avon)  Um panorama sobre os desafios da mulher no Brasil

Renata Toledo (Instituto Avon) Cases de ações de voluntariado com foco nas causas da mulher

INSCRIÇÕES Gratuitas:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdQr41mPJqL4lFxl3yK0VfSlA8_BL2thed2nF1RgnlSebCHdA/viewform?usp=sf_link

Convite 8 de agosto 2018 Grupo de Voluntariado Empresarial

 

ODS 5 

download

https://nacoesunidas.org/pos2015/ods5/

 

Celebrando mais de 50 encontros do GEVE

De dezembro de 2009 até agora foram mais de 50 encontros! As palestras e atividades estão todas publicadas aqui! Muito conteúdo, debate e ferramentas para a implantação e manutenção dos Programas de Voluntariado Empresariais;

Festejando também mais de 1.000 seguidores em nossa página do facebook!

  1. Investimento Social e Voluntariado Empresarial caminhando juntos 2018
  2. Debate investimento cidadania e voluntariado empresarial no Congresso GIFE
  3. O desafio da gestão do Tempo do Voluntariado”
  4. Gênero e Voluntariado: a mulher no foco
  5. Voluntários: como atrair os “não convertidos“ ou “desengajados” 2017
  6. Desenvolvendo a colaboração entre Voluntários
  7. ODS e voluntariado na prática
  8. Desmistificando a dificuldade em avaliar os programas de voluntariado
  9. Governança no Voluntariado Empresarial: existe um modelo ideal?
  10. Voluntariado Empresarial quebrando paradigmas e disseminando temas direitos LGBT, ética e inclusão.
  11. Cenário 2016 e o Voluntariado Empresarial: um panorama social e econômico: os números do investimento social no Brasil
  12. Gincanas, maratonas e premiações: ferramentas mobilizadoras nos Programas de Voluntariado Empresarial
  13. Engajar para o Voluntariado: pensando fora da caixa
  14. Voluntariado Empresarial e Valor Compartilhado
  15. Legado e aprendizados do Voluntariado dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016
  16. Gamificação: os jogos e aplicativos nos Programas de Voluntariado Empresarial
  17. Inovação e tecnologia a favor da mobilização e do engajamento para causas. 2015
  18. Sensibilização e engajamento de lideranças para o Voluntariado Empresarial”
  19. Voluntariado Empresarial –   Panorama internacional e oportunidades de ação voluntária nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU
  20. Avaliação de Programas de Voluntariado Empresarial: Oportunidades e Desafios
  21. Competências e Responsabilidades de um Gestor de Voluntariado.
  22. O voluntariado transformando o ambiente corporativo.
  23. Como medir resultados? Indicadores e impacto no Voluntariado Empresarial 2014
  24. O que NÃO FAZER em Comunicação do Voluntariado
  25. Cultura de Inovação do Voluntariado.
  26. Engajamento para filantropia, doação e voluntariado.
  27. Estratégias para o Planejamento do Programa de Voluntariado Empresarial”
  28. Voluntariado: Avaliação, Monitoramento e Impacto
  29. Olhares sobre o Voluntariado Empresarial 2013
  30. Como o programa de voluntariado se integra ao investimento social privado e o complementa
  31. Árvore da Vida nos programas de Voluntariado Empresarial
  32. Dinâmicas Humanas, Comunicação e Relacionamento Interpessoal para fortalecimento do programa de Voluntariado Empresarial
  33. Diálogo sobre tendências, desafios e oportunidades de voluntariado empresarial
  34. Redes e Parcerias
  35. Pesquisa sobre voluntariado realizada pelo IBOPE Inteligência para Rede Brasil Voluntário 2012
  36. O voluntariado segundo Mário Sérgio Cortella
  37. Premissas e Políticas dos Programas de Voluntariado Empresarial”
  38. Formação de Voluntários
  39. Sustentabilidade e Investimento nos programas de voluntariado empresariais
  40. Mobilização de pessoas para o voluntariado ong BRASIL
  41. Aspectos Jurídicos do Voluntariado Empresarial 2011
  42. O uso das Mídias Sociais
  43. Formação de voluntários em Programas Corporativos
  44. Engajamento – Voluntários, lideranças e gestores
  45. Tendências do Voluntariado Empresarial
  46. Movimentos da Modernidade e o Voluntariado
  47. Diagnóstico nos Programas de Voluntariado 2010
  48. Planejamento de Programas de Voluntariado Empresarial
  49. Monitoramento dos Programas de Voluntariado
  50. Indicadores e Metas para Voluntariado
  51. Avaliação dos programas de Voluntariado Empresarial
  52. Mesa de trabalho dezembro de 2009 Objetivos do Grupo de Estudos  é disponibilizar ferramentas, artigos, pesquisas, referências e  promover a troca de experiências.

 

Artigo Silvia Naccache para a plataforma Captamos: Afinal de contas, tempo é dinheiro?

Afinal de contas, tempo é dinheiro?

14 de Maio de 2018 às 06:00

Engajar voluntários para resultado é fundamental, pois tempo é valioso, precioso, tempo é dinheiro!

Mas qual é esse tempo dedicado ao voluntariado?

Será que quem doa e recebe esse tempo tem a genuína e real percepção do “valor” desse tempo?

E quanto do trabalho de muitos voluntários é transformado, de uma doação de tempo para uma mobilização de outros recursos, financeiros e materiais, para as organizações?

Em 2013 a Fundação Itaú Social encomendou uma pesquisa ao Instituto Datafolha para saber um pouco sobre o Voluntariado no Brasil. Foi feita com 2.024 brasileiros de 135 municípios e chegou a conclusão que 11% da população brasileira é de voluntários. Segundo os que nunca atuaram voluntariamente, falta de tempo é a razão alegada por 40% e ainda 6% disseram não conseguir organizar horários para o trabalho voluntário.

Será que o tempo é esse terrível vilão que afasta as pessoas da oportunidade de fazer o bem, exercitar sua cidadania e a solidariedade?

Certamente o tempo é a resposta mais rápida e prática para quem quer encerrar uma conversa. O tempo de cada um é assunto privado e se digo que não tenho tempo, eu encerro qualquer possibilidade de negociação e isso não se refere apenas a tempo de voluntariar: pode ser o de se exercitar, visitar amigos, aprender novo idioma, realizar um passeio, etc.

Não existe sobras de tempo, são escolhas, decisões e priorizações. Tempo de Voluntariado é também valorado.

A Valoração da Hora Voluntária passou a ter um registro contábil em setembro de 2012 quando entrou em vigor a Resolução CFC nº 1.409 – ITG 2002 para Entidade sem Finalidade de Lucros e, desde então, no Balanço Patrimonial, ou seja nas demonstrações contábeis elaboradas por estas entidades, devem ser destacadas as informações de gratuidades concedidas e serviços voluntários obtidos, divulgadas em notas explicativas por tipo de atividade.

O trabalho voluntário deve ser reconhecido pelo valor justo da prestação do serviço como se tivesse ocorrido o desembolso financeiro e talento para causas sociais.

Valorar significa apreciar e atribuir valor a alguma coisa ou a alguém. Valorizar significa aumentar o valor, a importância ou a qualidade de alguém ou de alguma coisa. Ambas as palavras resgatam um conceito muito importante no voluntariado: Valores.

O voluntariado promove o desenvolvimento da sociedade a partir do fortalecimento de valores que devem nortear o comportamento humano. Esse formato novo no Brasil promove indicadores da contabilização ou valoração da hora voluntária, medindo o impacto sobre as ações sociais desenvolvidas, reconhecendo os resultados de quem doa tempo, trabalho e talento com responsabilidade, dedicação e comprometimento.

Então tempo é realmente dinheiro e tempo de voluntariado tem um valor duplo, esse que podemos medir em reais e aquele que toca nossos corações e que nos concede um propósito e uma realização!

6 de junho: tempo e voluntariado

IMG-20180606-WA0008

Imagem1

Gestor de programa de Voluntariado gerencia o tempo do outro

 Falta tempo para Voluntariar

Gerenciar o tempo do Voluntariado é especialmente mais desafiador

Dinâmica de  Boas Vindas: Possibilitar a reflexão sobre mitos e verdades acerca da administração do tempo, bem como promover integração do grupo e conhecimento entre as pessoas.

tempo 1Dinâmica Tempo de Voluntariado

 

 

 

 

 

Apresentação:

apresentação GRUPO DE ESTUDOS 6 de junho

Palestrantes:

IMG-20180606-WA0009

Tiemi Yamashita: tiemi.yamashita@hotmail.com

Mottainai 2018 Voluntariado Tempo

Marcio Zeppelini:  marcio@filantropia.ong

texto inspiração Marcio Zeppelini

tempo 2

Atividade de Grupo:

Atividade em Grupo Tempo de Voluntariado

RESULTADO Atividade em Grupo Tempo de Voluntariado