Fórum de Voluntariado no RJ

No dia 12 de abril, no Centro de Convenções Sul América, no Rio de Janeiro aconteceu o Fórum de Voluntariado, promovido pela Rede Filantropia e pelo Grupo de Estudos de Voluntariado Empresarial.

o Fórum foi gratuito e reuniu mais de 150 pessoas debatendo os principais aspectos do mundo do voluntariado, tecnologias, voluntariado corporativo e mais!

O primeiro painel, com a curadoria de Silvia Naccache contou com palestrantes que trouxeram cases e  provocaram um debate muito participativo!

Voluntariado: um recurso relevante para a sociedade   

Recurso em todos os seus aspectos: contabilmente, já que o Brasil valora a hora voluntária,  recurso em forma de talentos, energia, tempo, trabalho e habilidades doados para as organizações da sociedade civil;  recurso que pode ser mobilizado por meio dos programas de voluntariado empresarial. E ainda mais recursos e visibilidade quando voluntários  apoiam a área de mobilização de recursos, tais como nos  bazares, eventos, mídias sociais, etc.   E certamente  o impacto local e global que isso gera na sociedade  ….  um exemplo é o engajamento mundial de cidadãos, voluntários pela agenda 2030 dos ODSs.

Panorama do Voluntariado e Mediação

Carolina Muller

Carolina Muller,  Cieds Pós-graduada em Gestão Empresarial (2008), administradora de empresa (2005), atualmente responsável pela gestão do Conselho Brasileiro de Voluntariado Empresarial – CBVE e PMO no CIEDS – Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável.  Mais de 8 anos de experiência em atuação na Petrobras somado aos desafios de trabalho em diversas outras organizações. Fluente em espanhol atuou por 4 anos na internacionalização da Petrobras atuando junto a diversos países, do Chile ao Japão, e por 2 anos como Coordenadora de Comunicação e RSA da Petrobras, no Chile. Dinâmica, positiva e estratégica, acredita que o trabalho em equipe, o serviço de excelência, o engajamento dos colaboradores e a Responsabilidade Social Corporativa é a chave do sucesso de uma instituição.

Panorama do Voluntariado FIFE 2019_Carolina Muller Cieds

Voluntariado e Aspectos Contábeis

Sandra Helena Pedroso

Sandra Helena Pedroso, Programa de Voluntariado da Classe Contábil do RJ  . Diretora do Ateliê de Cultura. Mestre em Sistema de Gestão de Projetos Sociais pela UFF e formada em Ciências Contábeis e. Nos últimos anos exerceu diversas funções na área cultural e cinematográfica. Foi Coordenadora Técnica da ANCINE, da Lei Estadual de Incentivo a Cultura e Membro do Comitê técnico da Lei do ISS/RJ, professora de produção na faculdade de cinema da Universidade Estácio de Sá e da faculdade de Produção Cultural da Candido Mendes. Atualmente como professora de Gestão Financeira na pós-graduação e no MBA de Produção Cultural da UCAM e na graduação do IUPERJ. Na área privada tem atuado como consultora administrativa e financeira de projetos culturais e sociais na: Secretaria de Cultura de Niterói, Textual Comunicação, Pedra Corrida, Izabel Jaguaribe, Jongo da Serrinha, Biblioteca Comunitária Tobias Barreto e com diversos ganhadores do Edital 2007 e 2010 da Petrobras Humanidades, etc. Produziu o espetáculo Suíte Funk na Caixa Cultural de Brasília e do Rio de Janeiro e os pilotos para televisão Carro de Paulista e Livros que amei. Participou como analista sênior, econômica e na comissão de seleção de projetos sociais da Petrobras nos anos de 2005, 2006 e 2007. No ponto de cultura do Grupo Nós do Morro e na Morena Filmes entre outros.

Apresentação  SANDRA PEDROSO

Voluntariado: Voluntários e as Organizações da Sociedade Civil

Pedro Ronam Marcondes

Pedro Marcondes Ronan, Argilando   Apaixonado pelo movimento do voluntariado e um otimista na busca por pessoas e ideias que contribuam para o desenvolvimento de questões sociais no Brasil e no mundo.  Fundador e diretor presidente da ONG ARGILANDO. Empreendedor social, advogado, consultor, palestrante e professor. Especialista em responsabilidade social corporativa, voluntariado empresarial e Terceiro Setor, com expertise em facilitação e gerenciamento de programas e projetos de desenvolvimento humano, cultural e socioambiental, alcançada em cursos, consultorias, treinamentos e outras experiências de trabalho, realizados, em organizações comunitárias, em organizações do Terceiro Setor e em grandes empresas, com experiência em agregar pessoas e organizações em torno de interesses comuns capazes de mudar o mundo, um passo de cada vez!

Apresentação  PEDRO RONAN Argilando

Voluntariado Corporativo: Voluntários e as Empresas   case TERNIUM

Maria Carolina de Almeida

Maria Carolina Almeida  Graduada em Marketing e pós-graduada em Gestão Empresarial pela Universidade Candido Mendes, Rio de Janeiro. Atuou em mercados diversos como o automobilístico, sucroalcooleiro e de comunicação. Hoje, desenvolve projetos sociais ligados a educação, cultura e diversidade, com objetivo de promover o desenvolvimento local e o relacionamento entre empresa e a comunidade. Hoje atua em Relações com a Comunidade e Programa de Voluntariado Empresarial na Ternium.

Apresentação Maria Carolina: Voluntariado Ternium – final2

O segundo painel coordenado por Roberto Ravagnani e trouxe três debatedores trazendo a tecnologia como facilitador do voluntariado: Helen Pedroso, , Rafael Medeiros, Rafael Costa e Luis Sergio Pereira.

20190409_132105

Instituto Ronald Voluntariado Helen Pedroso

Rio 2016_Seleção e Engajamento Rafael Costa

 

 

 

 

Estudos do Futuro e Inovação também no Voluntariado: o nosso encontro!

Dia t3 de abril nos reunimos no auditório gentilmente cedido pela WeWork na Avenida Paulista para um encontro inspirador com  Gil Giardelli.

Apresentação GEVE 03042019

http://www.gilgiardelli.com.br/site/palestras/

A palestra do Gil Giardelli, provocativa, desafiadora e inspiradora, “Estudos do Futuro e Inovação também no voluntariado” reuniu mais de 50 pessoas e ainda contou com a presença do Robo Now!

Seguimos nossa manhã com uma atividade em grupo, onde os participantes trouxeram os pontos de mais chamaram a atenção durante a palestra. Elegemos para cada grupo  um Guardião do Tempo que organizou e  cronometrou os tempos de fala,  um Documentarista que  anotou as principais conclusões do grupo e ainda o  Porta-Voz que foi  responsável por compartilhar as conclusões com os outros grupos.

atividade em grupo 3 4 2019 conclusoes

531ba8d4-b545-46c3-944d-330c0c36254aWhatsApp Image 2019-04-03 at 12.02.51

grupo apres

Nosso encontro contou mais uma vez com o delicioso e sustentável coffee da  DAngelo Gastronomia.

https://www.facebook.com/dangelobuffet/

 

https://www.wework.com/

e7f40c7b9fc31fee8a0e668f211a0bd6--laptop-stickers-martin-omalley

 

Dia 3 vamos falar de Futurismo com Gil Giardelli

Futurismo e Inovação também no Voluntariado

 Dia 3 de abril das 8h30 às12h30

WeWork    AVENIDA PAULISTA, 1.374   4 ANDAR

Palestrante: Gil Giardelli,   um estudioso de inovação, economia digital, sociedade em rede, colaboração humana, economia criativa, quarta revolução Industrial, empreendedorismo social e estudos do futuro.

Inscrição gratuita:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdf1fx34sh3ugoULjG2hOa6XAPG5oVkuS7QZPafgJoIPZTQWg/viewform

Convite 3042019 Grupo de Voluntariado Empresarial

Encontro sobre planejamento de programas

Hoje aconteceu o 1º Encontro do GEVE de 2019 com um tema essencial para o sucesso dos Programas de Voluntariado: Planejamento.

A convidada para facilitar este encontro foi Natália Kelbert do V2V, que apresentou a aplicou a ferramenta Canvas Volunteer Model junto aos 40 participantes do evento.

O instrumento foi  desenvolvido pelo V2V e pode ser conhecido e acessado nos seguintes links:

Workshop V2V Canvas GEVE (1)

Tabela V2V Canvas

Manual Canvas

Veja as fotos:

Café sempre muito especial e sustentável da D Angelo

GEVE 13fev2019 (39)

O próximo encontro será no dia 3 de abril e o tema está imperdível: Futurismo e inovação com Gil Giardelli.

Até lá!

Comitê Gestor

O Retrato da Doação no Brasil 2018

Desde século passado até os nossos dias, o mundo tem presenciado uma ascensão do papel representado por organizações da sociedade civil que, cada vez mais, são instrumentos de expressão dos anseios da população. No Brasil não é diferente. Aqui também presenciamos o aumento do protagonismo da sociedade civil e de suas organizações. Porém, para que essas instituições consigam continuar representando os desejos e pensamentos da população de forma independente, precisam contar com o apoio dos indivíduos, não só com doação de tempo, trabalho, conhecimento e influência, mas também com recursos financeiros. Por isso, são tão importantes as pesquisas.

Compreender o doador e promover campanhas e comunicação eficientes.

Publicado pelo IDIS, o relatório Giving Report 2018 Brasil faz parte de uma série internacional, produzida pela Aliança Global da CAF, uma rede mundial de organizações que trabalham nas fronteiras da filantropia e da sociedade civil. A série também inclui relatórios sobre a Austrália, Bulgária, Canadá, Índia, Rússia, África do Sul, Estados Unidos e Reino Unido. Esta é a segunda edição desta coleção exclusiva de relatórios por países.

Relembrando a edição de 2017 do Retrato da Doação no Brasil:

Giving Report Brasil 2017 country-giving-report-2017-brasil

A medida que a série cresce, poderemos analisar as tendências da doação pela primeira vez: o por quê e como as pessoas de diferentes idades e grupos sociais doaram em diferentes países; o modo como eles doam e a quem eles ajudam, além de compreender melhor a participação das pessoas em atividades sociais e cívicas, além de doações financeiras e voluntariado.

A metodologia deste relatório se baseia em dados coletados pelo YouGov a pedido da CAF. No Brasil foram feitas 1.022 entrevistas online entre 2 de agosto e 31 de agosto de 2018. O levantamento foi conduzido por um parceiro de pesquisas online do YouGov. Devido ao grau de penetração da internet no Brasil (45%), a amostra é representativa da população urbana e é ajustada aos dados demográficos conhecidos da população, incluindo idade e gênero.

Confira a edição 2018 do Giving Report Brasil 2018  – Retrato da Doação no Brasil

CAF-Brazil-Report-2018-Final

Principais conclusões
As principais conclusões de nossa análise sobre doações individuais no Brasil são as seguintes:
„„ As pessoas no Brasil continuam a doar dinheiro no mesmo ritmo registrado em 2017. Sete em cada dez (70%) doaram dinheiro nos últimos 12 meses, seja a uma organização social, a uma igreja ou organização religiosa, ou patrocinando alguém.
„„ As causas mais populares permanecem as mesmas do ano passado, com aproximadamente metade dos doadores (52%) apoiando organizações religiosas/igrejas.
„„ A quantia típica doada (mediana) ou patrocinada pelos que fizeram doações nos últimos 12 meses é de R$200.
„„ A doação em dinheiro é o método mais comum, sendo utilizado por cerca de dois terços dos doadores (68%).
„„ As principais razões para doar permanecem inalteradas desde 2017. “Porque faz com que se sintam bem” é a razão mais comum para a doação, com metade das pessoas citando esse motivo.
„„ De forma consistente com os resultados de 2017, mais de metade das pessoas (53%) fez trabalho voluntário nos últimos 12 meses.
„„ A maioria dos entrevistados considera que o impacto das organizações sociais no Brasil é positivo para as comunidades locais, para o Brasil como um todo e internacionalmente.
„„ “Ter mais dinheiro” é o fator mais citado pelos pesquisados como estímulo para as pessoas doarem mais tempo, bens ou dinheiro nos próximos 12 meses (57%).

IDIS:  https://www.idis.org.br/publicacoes/

CAF: https://www.cafonline.org/

YouGOV: https://yougov.co.uk/